Notícias

MAIORIA DOS PROFESSORES DE DIREITO APOIA CARLA LIANE

MAIORIA DOS PROFESSORES DE DIREITO APOIA CARLA LIANE

 

Aproximando-se o dia da eleição para escolha de Reitor e Vice-Reitor, terça, 3 de outubro, a quase totalidade dos Docentes do Curso de Direito de Brumado reafirmou sua convicção de apoio a Carla Liane.

Eunadson Donato de Barros, Murilo Martins Camelo, Ruivaldo Macedo, Ana Claudia Zanoni, Micheline Flores Dias e Tadeu Cincurá, além do Professor João Batista de Castro Júnior – que retorna às suas atividades no próximo semestre –, depois de refletirem sobre o estado atual de completa descaracterização dos ideais acadêmicos da UNEB, decidiram por apoiar a proposta mais condizente com um rumo adequado para a Universidade.

Comprometidos exclusivamente com esse novo direcionamento que se quer dar, renovaram seus propósitos de querer uma Universidade que prime pela funcionalidade e não pela existência de cursos de mera fachada, cuja ineficiência está deixando a comunidade discente em atraso em comparação com outros estabelecimentos de ensino superior.

Essa posição não é difícil de explicar. A administração da UNEB está moralmente falida: nada funciona, o Reitor é um estrangeiro em seu próprio território, que não se envergonha de lançar mão dos expedientes mais ilícitos para permanecer no poder, como se imaginasse estar diante de currais eleitorais, de triste lembrança do coronelismo brasileiro.  

Todos os fatos depõem contra a credibilidade de sua gestão. Em Brumado, apropriou-se do mérito da aquisição do terreno da sede própria e, em contrapartida, deixou o Curso de Direito seguidamente perder docentes sem se preocupar em repor as vagas, ao contrário do que fez com outros campi.

Sua omissão foi tão vergonhosa, em relação a Brumado, que sofreu sanção a esse respeito pelo Tribunal de Contas do Estado.  

Como consequência, há uma perturbadora evasão discente no curso de Letras. No caso dos docentes, há mesmo fuga sistemática, já tendo o campus perdido 3 Mestras em Letras (professoras Valméria, Virgínia e Fabiana), três doutores em Direito (professores Luciano Tourinho, Sheila Carregosa e Bruno Miola) e uma mestra (professora Maria Soledade).  

Em nível de Universidade, Bites tem mentido deslavadamente, a exemplo da criação de vagas de técnicos, que foi desmentida expressamente pelo Governo do Estado e pelo SINTEST durante a semana.

Com um orçamento atual de mais de 500 milhões de reais (https://portal.uneb.br/transparencia/orcamento-anual-da-uneb/), a UNEB não tem tido um gestor à altura.

Contra esse modelo que mais parece um saco de gatos, o Curso de Direito, por mais de 75% dos seus Docentes, se orgulha de ser uma trincheira ética vanguardista, que não vai ceder a apelos de conveniência ou a vantagens financeiras meramente pessoais como forma de perpetuar um modelo fracassado de gestão, que está retirando qualquer visibilidade da UNEB no concerto universitário.  

Com a proposta séria de Carla Liane se pode sonhar com a missão que levou à criação da UNEB. 


Leia mais