Notícias

ANA CLÁUDIA LEMOS PACHECO APOIA CARLA LIANE

ANA CLÁUDIA LEMOS PACHECO APOIA CARLA LIANE

 

A Professora Ana Claúdia Lemos Pacheco, um dos marcos referenciais brasileiros de Relações Étnicas no campo da Sociologia, declarou apoio a Carla Liane em carta aberta que a PROBUS ora publica.

A carta da Professora Ana Cláudia reafirma a magnífica densidade que está assumindo a campanha de Carla Liane-Joabson como um autêntico levante histórico na semiótica universitária. Carla será, sem sombra de dúvidas, um divisor de águas na trajetória dessa Universidade que teve sua certidão de batismo cultural eliminada pela asséptica e insulsa gestão de José Bites de Carvalho.

 

Eis o teor da Carta da Professora Ana Cláudia:

 

SOBRE O PROCESSO ELEITORAL NA UNEB

Ana Cláudia Lemos Pacheco

Professora Adjunta de Sociologia do Departamento de Educação da Universidade do Estado da Bahia (UNEB/Campus – I), Salvador, Bahia. Líder do Grupo de pesquisa CANDACES: gênero, raça, cultura & sociedade, certificado pelo CNPq. Professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Relações Étnicas e Contemporaneidade (PPGREC) da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB)


*Assumindo a perspectiva do feminismo negro, entendo que devamos recusar qualquer lugar de objetivação e de sub-representação das mulheres negras nos espaços de poder institucional; sejam eles quais forem;
* Reivindico que nossas histórias de luta e de resistência político-cultural  contra as múltiplas opressões  subalternizadas que violam nossos corpos sejam vistas como potências mobilizadoras relevantes  de quaisquer projetos políticos eleitorais, não apêndices de plataformas lideradas por mentes e corpos masculinos constituintes do androcentrismo institucional;
* A tradição do ponto de vista das mulheres negras reivindica novos espaços de protagonismo  político contra a hegemonia de grupos  que representam a supremacia- branca- masculina e gerontocrática nas estruturas das Instituições Educacionais;
* A perspectiva das mulheres negras possibilita abraçarmos  nossas assertividades discursivas para combater as imagens controladoras sexistas/racistas que insistem em nos colocar em situações e em posições de coisificação, de mesmeidade e da mulidade como formas  abjetas de existência;
* O ponto de vista das mulheres negras me faz acreditar que toda mulher negra é um ser em potencial de virtudes, ousadia (insubordinação) e de protagonismo diante das escolhas políticas que visam ocupar e disputar as relações sociais mais falocêntricas no interior das Universidades;
* Por fim, que o poder da Yalodê comande a nova gestão da UNEB.

Apoio CARLA LIANE para Reitoria da UNEB.


Leia mais