Notícias

TRIBUNAL DE CONTAS PUXA ORELHA DO REITOR BITES

TRIBUNAL DE CONTAS PUXA ORELHA DO REITOR BITES

O TCE, em agosto último, a partir de denúncia feita pela advogada Andressa Zamprogno, acionada, em 2015, pelo Professor Eunadson Donato, do Curso de Direito da UNEB em Brumado, expediu recomendação expressa ao Reitor José Bites de Carvalho para que aja com mais responsabilidade na criação de cargos e de abertura de concurso público e censurou as admissões por ele feitas para fins de seleção pública.

Desde algum tempo, a gestão do Reitor José Bites tem se salientado pela péssima capacidade de encontrar soluções sérias para os problemas nos diversos campi da Universidade.

Com o campus Brumado, não tem sido diferente, pois tem sido simplesmente esquecido do Reitor, que, nos últimos 3 anos, aqui esteve duas vezes, tal como um beija-flor, mal se limitando a cumprimentos formais, uma delas a bordo do jato particular do controverso político Newton Cardoso

Como consequência dessa inação no provimento de cargos docentes, com o curso à beira da falência acadêmica por diversas vezes, é que foi feita a denúncia ao Tribunal de Contas do Estado, que respondeu 2 anos depois proibindo expressamente esse modelo irresponsável de seleção pública de contratação temporária e recomendando que ele, de forma séria, promova abertura de concursos públicos.

Essa decisão vem em boa hora, pois o Reitor, em plena campanha para reeleição, resolveu aparecer nos campi inaugurando obras e lançando pedras fundamentais, como fez em Alagoinhas, Guanambi, Senhor do Bonfim, entre outros lugares, no velho estilo populista que enterrou as esperanças do Brasil de se tornar uma grande nação, ao tratar os eleitores como gado a seguir o som de um berrante mentiroso e falso.

De uma omissão glacial ao longo de 4 anos, somente agora Bites resolveu fazer algumas nomeações e abrir licitações,   tomando por estúpida a inteligência acadêmica que opera rigorosamente no espaço onde sabe se problematizar, questionar e pôr a nu manobras patrimonialistas, como essa do Reitor, que simplesmente está se achando o dono da Universidade bancada por impostos.

Que ninguém se admire que, nos próximos dias, faça nomeações de conveniência para Brumado e venha lançar pedra fundamental num terreno de 50.000 metros quadrados, em relação ao qual sua contribuição foi apenas uma assinatura protocolar, já que, durante todo o tempo, nunca escondeu seu desagrado nessa aquisição estranha aos domínios de sua administração.

Esse é o retrato da administração Bites: omissa e cínica ao mesmo tempo e que o Tribunal de Contas do Estado descortinou.

Nos próximos dias, com base nessa decisão do TCE, haverá representação ao Ministério Público para fins de ação judicial que busque sanções por improbidade, o que pode significar perda do cargo, que é umas das penas previstas na Lei Federal 8.429/1992, que regula os atos ímprobos.

Para ter acesso ao teor da decisão do Tribunal de Contas, clique aqui:

http://www.probusbrasil.org.br/hd-imagens/noticias/Acordao%20do%20TCE.pdf

http://www.probusbrasil.org.br/hd-imagens/noticias/Acordao%20do%20TCE%20parte%202.pdf


Leia mais